Filho entrega currículos no semáforo e consegue emprego para o pai

Uma história de ajuda e superação tem repercutido nas redes sociais. Preocupado com a situação do pai, que havia perdido o emprego em dezembro do ano passado, o estudante Natan Bueno Veloso, de 13 anos, decidiu tomar uma atitude. Junto com a família, ele imprimiu 400 cópias do currículo do pai e decidiu entregar para motoristas que paravam em um semáforo na cidade de Sorocaba, em São Paulo. Surpreendida ao receber o documento, a estudante Laleska Bruschi contou a história na internet e o relato viralizou.

“Hoje quando parei no semáforo fui abordada por um menino, que tinha no máximo 14 anos e eu já fui procurar se tinha algumas moedas no carro para entregar quando ele me disse a seguinte frase:’me ajuda, meu pai precisa de um emprego’, e me entregou esse currículo. Seria “muito mais fácil pedir esmolas, mas não era isso que ele queria, por isso vou postar aqui o currículo que me foi entregue. Acho válido usar as redes sociais para algo realmente útil! Se alguém estiver contratando, ou souber de alguém que esteja”, escreveu ela em sua conta no Facebook.

A história se espalhou e o final feliz aconteceu. O motorista Misael Bueno Veloso, de 39 anos, pai do garoto, foi contratado por uma empresa. “Já fiz os exames e entreguei os papéis. Agora, só estou esperando para pegar o uniforme para começar a trabalhar”, contou ele ao G1 São Paulo. A indicação para a vaga ainda é desconhecida, mas a família comemorou com alívio.  “É um alívio. Depois de olhar para ele com a autoestima baixa de estar em casa desempregado e agora fica todo animado. Vejo que valeu a pena a tentativa”, disse a esposa, Regiane das Naves.

Ideia
A ideia de distribuir os currículos no semáforo partiu de Regiane. Ela lembra com tristeza os momentos em que o marido passou visitando agências de emprego e procurando trabalho na internet, mas sem sucesso. “Toda semana ele (marido) ia nas agências e empresas, mas nada de entrarem em contato. Então, foi um meio de pedir socorro e nós não estávamos querendo pedir dinheiro a ninguém. Só procurávamos pessoas que conhecessem alguém que pudesse ajudar”, explica a diarista.

Já Natan, ficou emocionado ai receber a notícia. “Na verdade, eu não queria ir, mas pensei que aquilo poderia ajudar o meu pai e fui. Entreguei para várias pessoas e uma delas (a estudante Laleska Bruschi, que compartilhou no Facebook) já pegava moedas quando eu disse que só queria entregar o currículo. Eu não imaginava onde ele [currículo] poderia chegar, mas é bom ver meu pai feliz”, comentou o adolescente que não conteve as lágrimas.

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp.
Compartilhar