Desempregado? Cidade da Nova Zelândia está desesperada atrás de gente para ganhar R$ 10 mil

Não está fácil para ninguém. Talvez seja a frase mais repetida no Brasil em tempos de crise econômica. Mas na Nova Zelândia… Crise? Que crise?!

Claro, o país da Oceania não tem nada que ver com a crise brasileira. Mas eles simplesmente estão, em alguns casos, no caminho oposto do Brasil. Como na pequena cidade de Kaitangata.

A cidade é pequena, fica na chamada Ilha do Sul, é paradisíaca, coisa e tal. Mas vive um “problema” bem incomum: ela tem mais empregos disponíveis do que moradores.

São apenas 800 pessoas morando lá atualmente. Logo, não precisamos pensar muito para saber que existem lacunas na sociedade local. E por isso o governo está tentando atrair turistas.

Quem quiser se mudar para Kaitangata terá descontos nos custos legais de comprar uma casa, além de receber propostas de emprego imediatamente. Claramente muitos locais já estão animados com isso.

“Quando eu estava desempregado e tinha uma família para alimentar, a cidade me deu uma chance e agora nos queremos que outras famílias da Nova Zelândia também tenham essa chance”, conta o prefeito local, Bryan Cadogen.

E os empregos que estão sendo oferecidos não são nada ruins, viu!? Um dos descritos pelo prefeito para R$ 115 mil por ano para o empregado, um salário de cerca de R$ 10 mil. Bem maior do que muita gente ganha aqui no Brasil.

Mas apesar de parecer legal, coisa e tal, a situação é bem perigosa. Isso porque boa parte das áreas rurais da Nova Zelândia estão nessa situação. Assim, as pessoas correm para cidades maiores como Auckland, que enfrentam o problema oposto: muita gente para pouco emprego.

Não a toa, em Auckland há um projeto que paga as despesas de pessoas que precisam de moradia social para que elas deixem a cidade. Um país de opostos, sem sombra de dúvida. Mas se estiver sem emprego, quem sabe? Tem uma cidade na Nova Zelândia que só está esperando você.

Compartilhar