Presidente dos Correios quer realizar concurso, diz sindicato

Em reunião, no último dia 10, com o novo presidente dos Correios, Giovanni Queiroz, a Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios (Findect) cobrou a realização imediata do concurso da empresa e a contratação de mais funcionários. De acordo com o presidente do sindicato do Rio de Janeiro, Ronaldo Martins, que participou da reunião, Queiroz tem consciência do déficit de trabalhadores na empresa e está inclinado a realizar o concurso, que foi suspenso temporariamente em outubro, por orientação do governo federal. Segundo Martins, ele afirmou que fará consulta à Casa Civil da Presidência da República em busca de aval para a abertura da seleção.

No último dia 7, a estatal havia informado que está reavaliando a quantidade de vagas do concurso. A informação prestada pela empresa é compatível com a previsão feita pelo diretor regional dos Correios no Rio de Janeiro, Márcio Vieira. No mês passado, o dirigente afirmou que o levantamento das demandas deverá ser finalizado no segundo trimestre do ano que vem, com o concurso sendo aberto, muito provavelmente, na metade de 2016. Aguardada desde 2012, a seleção dos Correios foi anunciada oficialmente em julho deste ano. O edital chegou a estar previsto para agosto. Quando o governo federal anunciou o ajuste fiscal, a seleção foi suspensa após orientação do Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest) do Ministério do Planejamento para que a empresa não amplie o seu efetivo atual.


APOSTILA PARA ESTE CONCURSO

A previsão, que está sendo revista, era de oferta de cerca de 2 mil vagas de agente de Correios, de nível médio, nas atividades de carteiro e operador de triagem e transbordo. Para o Rio de Janeiro, seriam oferecidas 144 vagas, apenas para carteiro, além de cadastro de reserva. Também contariam com chances São Paulo, Minas Gerais, Amazonas, Bahia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Distrito Federal. De acordo com Márcio Vieira, a demanda de vagas para o Rio de Janeiro deverá aumentar um pouco em relação ao quantitativo anterior. O diretor da empresa no Rio reconheceu a necessidade de mais funcionários. Com um quadro de 120 mil trabalhadores, a empresa perdeu cerca de 6 mil empregados no ano passado, em função do plano de desligamento incentivado de aposentados. Mais 400 devem deixar a estatal este ano, em nova fase do programa de demissão. Segundo representantes dos trabalhadores, as reposições não foram realizadas.

Especialistas em concursos ouvidos pela Folha Dirigida já orientaram os interessados em participar do concurso dos Correios a se manterem estudando por meio do programa que constava do projeto básico do concurso, documento enviado às organizadoras. De acordo com esse projeto básico, os candidatos seriam submetidos a provas objetivas (Língua Portuguesa, Matemática e Conhecimentos Gerais), teste de esforço físico e exame médico admissional, para os convocados. Os cargos de carteiro e operador são abertos a quem possui o ensino médio completo. As remunerações iniciais são de pelo menos R$2.885,37 (carteiro) e R$2.348,87 (operador). Os valores já incluem benefícios e adicionais e correspondem à carga de trabalho de segunda a sexta. Em caso de trabalho de segunda a sábado, os ganhos sobem para R$3.017,42, para 44 horas semanais.

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp.
Compartilhar