Correios reavalia oferta de vagas em concurso

Questionado sobre as perspectivas de realização de seu concurso após a mudança na presidência da empresa, os Correios responderam na última segunda-feira, dia 7, que estão reavaliando os estudos relacionados ao quantitativo de vagas a serem preenchidas. Tão logo os estudos sejam concluídos e a necessidade de força de trabalho esteja definida será dada ampla divulgação, segundo a estatal. A resposta vai ao encontro do que afirmou à Folha Dirigida, no mês passado, o diretor regional da empresa no Rio de Janeiro, Márcio Vieira. De acordo com ele, o novo dimensionamento das demandas deverá ser concluído no segundo trimestre do ano que vem. “É muito provável que na metade de 2016 a gente venha a abrir esse concurso”, disse ele.

A reavaliação passou a ser feita após os Correios serem orientados pelo Departamento de Coordenação e Controle das Empresas Estatais (Dest) do Ministério do Planejamento a não ampliarem o efetivo registrado em setembro deste ano. A orientação levou a empresa a suspender temporariamente a seleção que estava prestes a ser aberta para agente de Correios, nas atividades de carteiro e operador de triagem e transbordo.

Estavam previstas cerca de 2 mil vagas, além da formação de cadastro de reserva em diversas localidades. No Rio de Janeiro, seriam 144 vagas, todas para carteiro. De acordo com o diretor da empresa no Rio, com o novo estudo das demandas o quantitativo para o estado deverá aumentar. “Não em um quantitativo muito grande, mas deve passar do que foi dimensionado anteriormente”, projetou Vieira.

As demais chances do concurso seriam para São Paulo, Minas Gerais, Amazonas, Bahia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Distrito Federal. Também já estava previsto que os candidatos seriam selecionados por meio de provas objetivas, de Língua Portuguesa, Matemática e Conhecimentos Gerais, teste de esforço físico e exame médico admissional, para os convocados. Tanto para carteiro quanto para operador, o requisito básico é o ensino médio completo. As funções proporcionam remuneração inicial de pelo menos, R$2.885,37 (carteiro) e R$2.348,87 (operador). Os valores correspondem a carga de trabalho de segunda a sexta, passando para R$3.017,42 em caso de trabalho de segunda a sábado.

Com um quadro atual de cerca de 120 mil empregados, os Correios sofrem com a falta de pessoal, que gera sobrecarga de trabalho para os atuais funcionários e prejudica a qualidade dos serviços prestados à população. Segundo representantes da categoria, o déficit estimado é de 15 mil trabalhadores. Somente no ano passado, 6 mil empregados deixaram a empresa por meio do plano de desligamento incentivado para aposentados. Outros 400 deverão sair na nova fase do programa. Além disso, a empresa briga na Justiça contra uma decisão de novembro do ano passado que determinou que os Correios convoquem concursados em número equivalente ao verificado em levantamento das demandas. A decisão foi motivada pela detecção de terceirizados em atividades inerentes a concursados da empresa.

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp.
Compartilhar